Início » Nossa Senhora e Santos » Santa Brígida: História e Orações

Santa Brígida: História e Orações

santa brigida

Filha do Rei da Suécia, Santa Brígida nasceu em 1303, em Finster. Uma moça que desde pequena era muito ligada na igreja e atuante na comunidade. Frequentava as missas e cultos com seus pais e tinha o anseio de ajudar os mais pobres. Sua família construiu diversos hospitais, mosteiros e igrejas, em virtude disso ela teve como inspiração para querer seguir o caminho da caridade.

História

Com 18 anos, Brigite casou-se com o Wulfon, príncipe da Nerícia. Tiveram 8 filhos e tinham forte presença na igreja, entretanto, passaram por algumas dificuldades com os vícios e paixões do marido. A santa era uma moça com muita fé e conseguiu reverter essa situação com muita oração, peregrinação e práticas de piedade.

Passados alguns anos, Wulfon veio a falecer deixando sua esposa e filhos. Brígida passou a dedicar sua vida inteiramente aos seus filhos e ajudando necessitados. Além de cuidar dos enfermos em seu próprio hospital.

Em meio de sofrimentos e dificuldades, ela se manteve forte e adorando seu eterno Jesus. Aos 71 anos ela veio a falecer, deixando seus ensinamentos e sendo uma inspiração como pessoa.

Dia de Santa Brígida

Dia 23 de Julho é comemorado o dia de Santa Brígida. Esse dia é comemorado para homenagear a pessoa inspiradora que ela foi, um exemplo de mulher e de esposa. Ajudou os necessitados e doou sua bondade e tempo.

Orações

Oração de Santa Brígida

“Bendito sejais, ó Deus, que concedestes a Santa Brígida a graça da firmeza da fé e das grandes iniciativas apostólicas. Dai-me ser sempre diligente e pronto para as grandes tarefas de apostolado e testemunho. Por Cristo nosso Senhor. Amém!”

Oração pelos doentes

“Ó Jesus, médico celeste, que fostes elevado na Cruz afim de curar as nossas chagas por meio das Vossas, lembrai-Vos do abatimento em que Vos encontrastes e das contusões que Vos infligiram em Vossos Sagrados membros, dos quais nenhum permaneceu em seu lugar, de tal modo que dor alguma poderia ser comparada a Vossa.

Da planta dos pés até o alto da cabeça, nenhuma parte do Vosso Corpo esteve isenta de tormentos, e entretanto esquecido dos Vossos sofrimentos, não Vos cansastes de suplicar a Vosso PAI pelos inimigos que Vos cercavam, dizendo-Lhe:

“PAI, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem”

Por esta grande misericórdia e em memória desta dor, fazei com que a lembrança da Vossa Paixão, tão impregnada de amargura, opere em mim uma perfeita contrição e a remissão de todos os meus pecados. Assim seja!”.

 

Comente